FRUTAL AGORA TEM UM LABORATÓRIO VIVO PARA EDUCAÇÃO ECOLÓGICA

0
8
DCIM100MEDIADJI_0714.JPG

O Ecoparque Municipal das Sucupiras foi inaugurado na sexta-feira (24). A solenidade contou com a presença de diversas autoridades e crianças das Escolas Municipais e CEMEI´s. Essa é uma conquista da Prefeitura de Frutal, por meio da Secretaria Municipal de Meio Ambiente, em parceria com o Ministério Público Estadual. O Ecoparque Municipal das Sucupiras é a primeira unidade de conservação de espécies nativas do bioma do Cerrado, com mais de 25 espécies nativas já catalogadas. O local também será um espaço para trabalhar a Educação Ambiental pelas práticas ecológicas e está localizado na Rua Lélio Heitor de Assunção, 43, no bairro Jardim do Bosque. Segundo a prefeita Maria Cecília Marchi Borges (Ciça), o Ecoparque é um espaço muito importante preservado para estudo ambiental, pois mesmo sendo uma área fechada, terá horário para receber alunos de todas as escolas. “No local, temos uma sala de aula a céu aberto, onde receberemos nossos alunos juntamente com os professores, para que a gente possa ter além do espaço que já está preservado, poder orientar e informar as nossas crianças com relação ao respeito o ao meio ambiente”, ressalta. Na oportunidade a prefeita Ciça, agradeceu a toda equipe da Secretaria de Meio Ambiente pelo trabalho e dedicação. Ela ressalta que tinha pressa em entregar o Ecoparque à população. “Tudo isso só tem resultados quando a comunidade abraça a causa e eu tenho a convicção de que estamos unidos por uma causa importantíssima que é o meio ambiente. Todos nós queremos sobra, todos nós queremos uma cidade limpa, mas temos que fazer a nossa parte e esse é o inicio da conscientização e da presença do cidadão frutalense nesse parque que agora é nosso”, comenta. De acordo com a secretária de Meio Ambiente, Mônica Sousa Alves, esse é um dos últimos fragmentos do cerrado que está preservado na área urbana no Município. Segundo ela, tudo começou a partir de um TAC (Termo de Ajustamento de Conduta), firmado o ano passado com o Ministério Público, com uma multa ambiental que foi revertida em um ganho para a cidade, por meio da apresentação de um projeto da criação do Ecoparque. “O parque é um dos últimos fragmentos do cerrado na área urbana, com uma extensão de 2,5 hectares. Então é uma maneira da gente compensar a sociedade de Frutal pelos danos ambientais causados anteriormente”, destaca. Com relação às visitas, a secretária Mônica Alves informa que será formando um Conselho Gestor com a participação da comunidade para definir como serão as visitas monitoradas. “Para chegar até aqui, foi um processo lento, porque o ambiente estava muito desequilibrado, cheio de cipó, então fizemos todo o manejo e preparamos o local para fazermos a entrega para população e principalmente para as escolas, porque vamos fazer disso um centro de educação ambiental”, relata. Segundo a secretária Mônica, o Ministério Público foi um importante parceiro com a destinação de recursos, a APAC fez o mosaico e a Usina Cerradão que fez parte da calçada. “Creio que a partir de agora as parcerias virão para mantermos o parque. O importante também é que mandamos um projeto para Câmara e transformamos em um parque natural, vamos cadastrá-lo para que a partir do próximo ano, possamos receber o ICMS ecólogo e investir neste parque”, informa. Para a secretária municipal de Educação, Gabriela Ferreira de Melo Borges, o Ecoparque será utilizado como uma sala de aula a céu aberto e será feito um trabalho conjunto entre as secretarias de Educação e Meio Ambiente. “Esse parque foi um presente para a educação e para nossa cidade, então vamos preparar projetos, nossos professores estão todos empenhados para usarem o parque. Quero agradecer por este presente, que nós possamos cuidar do meio ambiente, da nossa cidade e demonstrar o respeito a todos os cidadãos que aqui moram, portanto, nada melhor do que a gente cuidar e aproveitar desse parque da melhor forma possível”, destaca. Segundo o promotor público Rodrigo Caldeira Grava Brasil, que participou da solenidade, a ideia do Ecoparque surgiu por meio de um TAC, que previa obrigações referentes ao lixo, pois o município não dava destinação adequada aos resíduos sólidos. “Começamos negociar um acordo para regularização da questão do lixo e a partir da daí algumas medidas compensatórias por esse período de irregularidade, então a Mônica apresentou junto com a Gercina a ideia de um parque em zona urbana e o Ministério Público sempre viu com bons olhos a unidade de conservação. Depois de alguns meses de discussão e debates, conseguimos formalizar um acordo que trouxe além da questão do lixo, as medidas compensatórias referente a Ascafru (Associação dos Catadores de Recicláveis de Frutal), a implementação de um plano de ensino ambiental nas escolas municipais e também a criação desse parque municipal”, relata – Secom.

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here